KonMari, Organização, Vídeos

Organizando minhas roupas pelo método KonMari – o que eu concluí

Olá, pessoal! Tudo bem?

No último post eu apresentei para vocês 5 dicas de arrumação que aprendi com a Marie Kondo. Amei assistir a série e, quando li o livro, me encantei ainda mais com o método e resolvi aplicá-lo. O último vídeo que compartilhei no canal mostra um pouquinho da parte de arrumação das roupas, a primeira etapa do método. Vou deixar o vídeo aqui embaixo caso vocês não tenham assistido ainda:

Resumindo algumas lições:

  • Bom, primeiramente, acho essencial dizer que eu percebi que tinha MUITAS roupas que não usava. Sério, eu poderia viver só com o que eu descartei, já que foram:
    • 13 partes de baixo (calça, saia, shorts);
    • 31 blusas (manga longa, curta, regata, camisa…);
    • 21 peças de cima de frio (malha, casaco);
    • 3 vestidos;
    • 10 pares de calçado.
  • Eu vivia dando segundas chances para roupas que eu não amava e não queria usar. O melhor, nesses casos, é tentar observar por que não gostamos de tal peça e passar ela adiante, ou então focar nela e tentar usar nos looks – mas devemos deixar para teste por um período curto, não eternamente, como eu fazia.
  • Tudo bem se não usamos muito uma peça, ela nos trouxe um aprendizado sobre o que gostamos ou não e isso também é válido.
  • Mantenha apenas o que faz parte do seu estilo, o que você se vê usando, não se force a usar algo que não te traga alegria
  • Ter menos roupa faz com que você veja todas as peças e saiba o que tem, facilitando na hora de se vestir.
  • É mais fácil de manter organizado um armário que não estava abarrotado de roupas.

 

E então, pessoal, você tem vontade de organizar o guarda-roupa pelo método KonMari? Espero que tenham gostado!

Não deixem de me seguir nas outras redes sociais:

Youtube

Facebook

Instagram

Muito obrigada!

Beijinhos!!!

 

Organização

5 dicas de organização da Marie Kondo

Após a febre que foi a série “Ordem na Casa com Marie Kondo”, lançada no início desse ano pela Netflix, resolvi fazer um post falando sobre o método KonMari, o método de organização desenvolvido pela Marie Kondo (KonMari é um apelido dela). Ela é obcecada por organização desde os 5 anos (fiquei chocada) e, a partir dos 15 anos, começou a estudar o assunto a sério. Atualmente, ela é palestrante e consultora.

Para falar melhor sobre o assunto, resolvi ler o livro dela “A Mágica da Arrumação”, lançado em 2011. Foi muito legal a experiência de ler o livro pois a série mostra, na prática, como arrumar, e o livro mostra a história por trás do método, como ela desenvolveu e a explicação das partes dele. Então, aqui vão 5 dicas que separei após assistir a série e ler o livro:

1. Descarte o que não traz alegria

O método dela basicamente consiste em você pegar cada objeto e sentir se ele te trás alegria. É engraçado ver na série a reação das pessoas quando ela fala isso, que deve ser bem parecida com a nossa ao ouvirmos isso. No livro ela conta que, por muito tempo, ela fez várias tentativas até chegar no método e percebeu que dávamos muita atenção ao que saía: compre uma coisa e joga duas fora e coisas do tipo, mas que percebeu que o ideal era olhar o que fica. Devemos ficar só com o que amamos para ficarmos felizes cada vez que olharmos para o que temos.

“Por meio dessa experiência, concluí que a melhor maneira de fazer a triagem do que fica e do que sai é segurar cada item e indagar: “Isso me traz alegria?” Se a resposta for afirmativa, guarde-o. Caso contrário, jogue-o fora. Este não só é o critério mais simples, como também o mais preciso.”

 

2.  Determine um lugar específico para cada item que restou

No momento em que você determina um lugar para cada coisa que você tem, fica muito fácil manter a organização, pois é quase automático. Faz uma semana, aproximadamente, que organizei meu quarto utilizando o método dela e já posso sentir isso. Quando algo está fora do lugar, sei onde colocar, sem nem pensar muito.

“O motivo pelo qual cada item deve ter seu local específico é que a existência de um objeto sem lugar definido multiplica as chances do retorno à bagunça.”

 

3. Siga a sequência: roupas, livros, papelada, itens variados e itens de apego emocional

Como dito no primeiro item, devemos ficar com o que nos traz alegria. Como essa noção de alegria é algo que vai sendo aprimorado durante o processo, essa sequência é sugerida. Nos itens de apego emocional estão inclusos presentes e lembranças: imagina começa a se desfazer deles primeiro, seria absurdamente mais difícil.

“Além do valor material, existem três outros fatores que agregam valor aos seus pertences: funcionalidade, informações e apego emocional. Quando se acrescenta o elemento da raridade, a dificuldade de desapegar se multiplica.”

 

4. Organize de modo simples

Imagine todo dia ter que ficar pensando onde vai cada coisa e ter que fazer malabarismos para colocar no lugar: em uma semana (ou menos) você ia desistir de organizar e ia simplesmente colocar em qualquer lugar. Por isso, a organização deve ser simples, de fácil acesso, e possibilitando ver tudo. Acho que uma das coisas mais legais desse método de organização é adquirir a consciência de tudo o que temos. Como ela diz, guardamos itens similares em diferentes lugares, o que dificulta saber quanto temos. Quando você junta todas as suas roupas, todos os seus livros, tudo o que você tem parecido, e pega cada coisa para sentir se te trás alegria, você acaba conhecendo tudo o que tem.

“A maioria das pessoas tem consciência de que a origem bagunça é o excesso. Mas por que temos mais do que precisamos? Em geral é porque não sabemos exatamente quantas coisas possuímos, e isso acontece porque nossos métodos de organização são complexos demais – ou inexistentes. A habilidade de evitar o excesso depende da habilidade de simplificar a organização. O segredo de um ambiente organizado é buscar a simplicidade máxima na organização, de tal modo que baste uma olhadela para que a pessoa consiga ver o que tem.”

 

5. Colecione memórias e não coisas

É engraçado como vamos guardando algumas coisas pelas memórias que nos trazem, é quase como se fôssemos perder a lembrança por descartar a coisa. Eu sentia isso com itens de eventos que eu fui, guardava todos os papéis. Mas, na verdade, eu nunca ia olhar eles. Acabei guardando apenas os crachás. Porém, o importante é tudo o que aprendi nessas situações, isso sempre vai ficar em mim, independente dos objetos que eu guardar ou descartar.

“Não devemos celebrar as lembranças, mas a pessoa que nos tornamos por causa das experiências que tivemos. Esta é a lição que os objetos de valor emocional nos ensinam quando os organizamos. O espaço em que vivemos deve se adequar à pessoa que somos agora, e não àquela que fomos um dia.”

 

Depois de tudo isso, você provavelmente estará pronto para viver a mágica da arrumação em sua vida!

 

As citações contidas nesse post foram extraídas do livro “A Mágica da Arrumação”.

 

E então, já conheciam a Marie Kondo e o Método KonMari? O que acharam?

Muito obrigada por tudo!

Beijinhos!!!

 

Saúde

5 dicas para deixar o sedentarismo de lado

Olá, pessoal! Tudo bem?

Alguns anos atrás fiz um post com dicas de 5 exercícios para malhar se divertindo e resolvi que estava na hora de fazer um vídeo falando do tema exercícios, já que estou conseguindo ir na academia regularmente (alô, metas de ano novo, haha)! Vou deixar o vídeo aqui e, em seguida, resumir um pouco do que falo nele.

1. Escolha um exercício e um local que você goste: talvez o melhor para você começar não seja fazer a famosa musculação (muito benéfica, por sinal) se você não simpatizar tanto com a atividade. Comece com algum exercício que te agrade e assim que criar o hábito pode ir repensando a atividade. Além disso, academias têm diferentes perfis: algumas são mais calmas, algumas são frequentadas pelo pessoal que pega mais pesado, algumas do pessoal alto astral, vale a pena conhecer e fazer testes para sentir onde você fica mais confortável e motivado. A ideia dessa dica é eliminar possíveis obstáculos para realizar a prática, como não gostar do que faz ou do lugar.

2. Encontre uma motivação: é bem importante que você entenda qual o real motivo para você estar fazendo exercícios, pois é isso que dará significado para a atividade (por exemplo: emagrecer, ser saudável, se sentir melhor…).

3. Transforme sua motivação em meta: o terceiro passo é estabelecer uma meta que faça sentido com a sua motivação (por exemplo, emagrecer 5 kg, ir na academia todos os dias para abandonar o sedentarismo…).

4. Estabeleça dias e horários para a prática: quando temos os momentos de exercícios determinados, nos tornamos mais comprometidos com eles, sendo mais difícil deixar de ir. Devemos ver esses horários como compromissos e evitar adiar. É legal também criar uma rotina pré-treino, por exemplo:

  • 18:30 – lanchar;
  • 18:40 – trocar de roupa;
  • 18:50 – ir para a academia;
  • 19:00 iniciar o treino.

5. Nem cogite não ir: isso mesmo, quando a vontade de ficar em casa vier, ignore ela. Pense na sua meta, que deve fazer muito sentido para você, e foque nela. Quando chegar na hora de sair de casa, não pense muito, só vá! Ou pense na felicidade de realizar sua meta, no bem que você sente, no desafio realizado.

 

E então, pessoal, qual a relação de vocês com exercícios? Acham que essas dicas ajudariam?

 

Muito obrigada, pessoal!

 

Beijinhos!!!

Entretenimento, Livros

5 lições que aprendi com o livro “Aprendizados”, da Gisele Bündchen

Olá, pessoal! Tudo bem?

Há algum tempo tenho acompanhado a Gisele Bündchen e percebi que ela tem um lado muito crítico e engajado, além da indústria da moda. Quem segue ela no Instagram percebe a ligação dela com o meio ambiente, a vontade de “compartilhar amor”, como diz a descrição dela e com o yoga, uma prática que eu adoro (tem post aqui sobre o assunto). Assim, fiquei bem animada para ler o livro que ela lançou ano passado: Aprendizados: minha caminhada para uma vida com mais significado.

Além de uma introdução, o livro conta com 8 capítulos, que são basicamente 8 lições que ela gostaria de compartilhar com os leitores. Resolvi compartilhar com vocês as 5 lições que eu tirei do livro.

 

1. Aproveite as oportunidades

Como ela conta no livro, não era um sonho dela ser modelo. Na época, com 13 anos, ela se via sendo veterinária ou jogadora de vôlei, porém, por problemas de postura, a mãe dela matriculou ela e duas irmãs num curso de modelo e manequim. Através desse curso, ela foi para São Paulo, onde um caça-talentos conheceu ela. Ela enxergou na carreira de modelo uma oportunidade de ganhar dinheiro e ajudar a família. No ano seguinte, se mudou para São Paulo. Por mais que ser modelo não estivesse nos planos dela, ela agarrou a oportunidade e deu seu melhor, em todos os momentos (ela afirma que nunca se atrasou para um compromisso do trabalho). Isso está muito ligado aos títulos do primeiro e do segundo capítulos: “Tudo começa com disciplina” e “Desafios são oportunidades disfarçadas”. Tudo que ela faz, ela se se propõe a fazer da melhor forma que ela poderia fazer e isso é essencial.

 

2. Preste atenção à sua vida e, em especial, ao que você quer atingir

O título do capítulo 5 é “Onde você focar sua atenção é onde colherá resultados”. Se prestarmos atenção na nossa vida, isso faz total sentido. Preste também atenção naquela áreas que você sente prejuízo, por exemplo, nas amizades. Será que seus amigos “te abandonaram” ou você que não prestou tanta atenção neles nos últimos tempos? Você mandou mensagem, ligou, pediu como estavam? No livro ela conta como foi sabotada diversas vezes no trabalho conforme atingia o sucesso. Ela também teve desafios, mas teve foco em seu trabalho e em fazer seu melhor. Nós também devemos focar e colocar nossa energia naquilo que desejamos. O terceiro capítulo é “A qualidade da sua vida depende da qualidade dos seus relacionamentos”. Podemos nos perguntar se as pessoas que nos rodeiam nos motivam, querem nosso bem, nos empurram em direção às nossas metas, porque isso faz toda a diferença. Assim, devemos estar atentos, além das nossas ações, às pessoas que nos rodeiam – e animais! Ela fala sobre a cachorrinha que a acompanhou por anos: a Vida! Analise também se você está de fato presente nos momentos que vive.

 

3. Siga sua voz interior

Sabe quando você sentia que alguma coisa não deveria ser feita mas mesmo assim você teimou em fazer e deu errado? Pois é, a Gisele também sabe, ela até narra no livro uma história de quando ela se mudou para São Paulo e isso aconteceu. Segundo ela, é muito importante ouvir nossa voz interior e o yoga e a meditação ajudaram ela a se conectar mais com ela mesma e com essa intuição que temos. No capítulo 4 “Nossos pensamentos e palavras têm poder – use-os com sabedoria”, ela fala um pouco mais sobre isso.

 

4. Podemos fazer a mudança que queremos ver acontecer

Uma das coisas que me chamou atenção quando comecei a seguir a Gisele foi a importância que ela dá para a natureza e suas campanhas. Ela menciona no livro que, na casa onde mora, cultiva abelhas, já que soube que elas estavam ameaçadas. Achei isso demais! É uma pequena atitude, mas se cada um fizesse algo… Além disso, conversando com a Grendene, conseguiu com que um percentual dos lucros anuais da sua linha de sandálias fosse destinado a projetos para proteger o Xingu. Ela não precisou “mudar” nada na vida dela, apenas conversar. Há vários outros projetos que ela também criou e vive em função disso. É muito legal ver como ela usa sua influência para causas que acredita e me faz pensar no que eu não poderia estar fazendo.

 

5. Cuide de você e busque se conhecer

Para quem pensou que a vida da modelo fosse perfeita, deve ser um choque saber que ela teve síndrome do pânico e chegou a pensar em suicídio nessa época. Acho muito interessante que ela fale sobre isso para dar mais visibilidade à saúde mental. Nessa fase ela era bem diferente do que é hoje, não se alimentava bem, fumava e trabalhava muito. Depois disso, ela buscou ajuda e mudou a forma de se alimentar, começou a fazer yoga e se reconectar consigo mesma. Hoje em dia, ela também busca em recursos naturais os “remédios” que precisa, como chás. Os capítulos 6, 7 e 8 são intitulados “A natureza: nossa maior professora”, “Cuide de seu corpo para que ele possa cuidar de você” e “Conhecer a si mesmo”. Acho que a principal lição do livro, pra mim, foi “Cuide de você e busque se conhecer”.

 

E vocês, também admiram a modelo? Se interessam em ler o livro dela?

 

Muito obrigada, pessoal!

 

Beijinhos!!!

 

Gluten Free, Saúde

A campanha #GlutenFreeNãoÉMiMiMi e a importância de falarmos sobre as desordens relacionadas ao glúten

De acordo com o site da campanha “A Campanha #GlutenFreeNãoÉMiMiMi nasceu dentro de um evento especialmente pensado para esse fim. Um grupo de 40 Influenciadoras Digitais na Vida sem Glúten se reuniu em outubro de 2018 em Curitiba para aprender mais sobre as Redes Sociais e criar uma ação que tivesse como resultado o aumento da Consciência Celíaca na sociedade brasileira.”

Quando li a hashtag pela primeira vez, fiquei encantada. Sou celíaca há aproximadamente 2 anos e me deparo com a falta de conhecimento das pessoas. A pior parte é em estabelecimentos de alimentação, quando não consigo informações suficientes sobre a comida ser segura. Além da doença celíaca (DC), há a dermatite herpetiforme (DH), a sensibilidade ao glúten não celíaca (SGNC) e a alergia ao trigo.

Percebendo quão necessário é debater esse tema e motivada pela campanha, resolvi postar vídeos no meu canal também, para informar as pessoas. Já tinha vontade há algum tempo de falar mais sobre o assunto e enfim coloquei em prática. Vou deixar aqui os dois vídeos que postei no canal:

 

Recebendo um celíaco em casa: dicas para te ajudar!

 

5 itens que contêm glúten e você provavelmente não sabia

E vocês, se interessam no tema?

 

Muito obrigada, pessoal!

 

Beijinhos!!!

Entretenimento, Girl Power

5 mulheres do YouTube que me inspiram

Apesar de ter sentimentos mistos com relação ao Dia da Mulher (flores nesse dia e piadinhas machistas nos outros 364), resolvi reunir nesse post algumas das mulheres que têm canais no Youtube e me inspiram a ser minha melhor versão. Acompanhar pessoas inspiradoras é uma das formas de evoluir, então aproveita pra conhecer elas caso ainda não conheça (como assim tem gente que não conhece elas?! hahaha).

Nathalia Arcuri

A Nath é a criadora do canal Me Poupe!, que eu amo e acho que todo mundo deveria seguir por motivos de: não aprendemos educação financeira em lugar nenhum! Como professora de Matemática, acho que seria essencial trabalharmos isso na escola. O que você faz é repetir o que sua família fez, só que nem sempre eles fazem o mais adequado. Um dos objetivos da Nath era ajudar as mulheres a se tornarem independentes financeiramente para não continuarem em relacionamentos abusivos (sim, isso acontece!). Admiro ela muito! Esse vídeo é especial para o dia das mulheres e ela conta um pouquinho da ideia dela.

Bruna Vieira

Sigo o blog da Bruna há anos (acho que uns 7, mais ou menos) e acompanhei as diversas mudanças dela. Acho que hoje ela está na fase mais empoderada e “mulherão” dela, é algo muito lindo e inspirador ver essa evolução. Esse vídeo que ela lançou está simplesmente maravilhoso. Para quem não sabe, ela já lançou diversos livros, então nesse vídeo ela junta duas coisas maravilhosas dela: a escrita e os vídeos. Ela lançou há pouco o projeto #MinhaCalifórnia então vou deixar o link do vídeo aqui.

 

Fernanda Neute

Já falei da anteriormente neste post e vivo exaltando ela porque acho o canal dela um dos com melhor conteúdo. Cada vídeo agrega lições para minha vida. Acho a história dela muito legal: ela tinha o sonho de ser publicitária desde pequena e se dedicou muito para isso, conseguiu chegar a um cargo muito importante e desistiu largar tudo pra buscar mais. Isso me inspira muito: a dar meu melhor, a não me contentar, a me dedicar. Ela é maravilhosa!

 

Juliana Goes

A Ju também passou por uma evolução pessoal muito grande. Não acompanho ela desde o início (acho que faz só um ano que acompanho), mas ela fala bastante sobre o passado e também tem os vídeos antigos no canal. Ela lançou um livro ano passado e também é fundadora do aplicativo Zen. Acho que a mensagem dele é muito relacionado a uma vida com propósito, sustentabilidade e ser sua melhor versão.

 

Karol Pinheiro

Por fim, alguém que comecei a acompanhar no YouTube mais recentemente! Conheço a Karol da epóca em que ela trabalhava para a Capricho. Acho que ela mudou muito, talvez por ter amadurecido e agora mostrar de fato quem ela é na internet. Acho ela muito sincera e isso me conquista nela. Esse vídeo que ela postou para o dia da mulher resume bastante como me sinto nesse dia. Sei que a intenção das pessoas é boa, mas e os outros 364 dias?!

Quais delas vocês já conhecem? Gostaram das indicações?

 

Muito obrigada por tudo, pessoal!

Beijinhos!!!

 

Entretenimento, Livros

5 lições que aprendi com o livro “Como fazer amigos e influenciar pessoas”

Olá, pessoal! Tudo bem?

O ano de 2018 não foi muito produtivo no quesito “leituras” – minha média ficou BEM abaixo dos últimos anos. Não sei exatamente por que, mas comecei vários livros e não conseguia acabar. Consegui acabar minha primeira leitura de 2019 (iniciada em 2018) e resolvi compartilhar com vocês algumas lições!

“Como fazer amigos e influenciar pessoas”, escrito por Dale Carnegie, é o livro preferido do meu namorado e ele já tinha me indicado para ler. Porém, o título não me agradava, por parecer um “manual da falsidade” haha. Após ter lido, posso dizer que não tem nada de falsidade, o autor propõe uma nova forma de lidar com as pessoas, utilizando conhecimentos sobre como as pessoas agem/sentem. É bem legal até para uma autoanálise. O livro traz várias lições exemplificadas, com situações vividas pelo autor e seus alunos, para facilitar a compreensão.

Minha parte favorita do livro foi a última: “Seja um líder: como mudar as pessoas sem ofendê-las nem deixá-las ressentidas”. Eu vejo muito o professor como um líder (e, para quem não sabe, sou formada em Licenciatura em Matemática), então foi a parte que mais fez sentido para mim.

Vamos às lições!

1. Existem diversas formas de expressar determinado pensamento

Acho que o principal ponto do livro é problematizar como expressamos nossas opiniões, como damos ordens, como conversamos com as pessoas. Assim, ele sugere que reflitamos sobre como nos sentiríamos em determinadas situações para escolhermos a melhor forma de agir. Acho que, por mais que isso seja óbvio, dificilmente nos damos conta de que a forma como estamos “programados” para agir não é a única forma que existe, então com os exemplos que o livro aborda conseguimos repensar diversas ações.

2. Seja um bom ouvinte

Segundo o autor, as pessoas estão mais interessadas em falar sobre elas do que em ouvir você falando sobre si mesmo, de forma que, para se tornar uma pessoa mais amigável, deveríamos incentivar as pessoas a falarem sobre elas e ouvir com atenção, de fato nos interessando pelos outros.

3. Evite discussões

Ainda segundo o autor, a única maneira de ganhar uma discussão é evitando-a. Ele expõe que, batendo de frente com uma pessoa ou falando diretamente que a pessoa está errada, só conseguiremos fazer com que ela busque mais argumentos para se defender, gerando o oposto do que queríamos, que era fazê-la mudar de opinião.

4. Procure entender o ponto de vista do outro

Uma das ideias que mais gostei do livro e que deu sentido para a mensagem que o autor quer passar foi quando o autor trabalha a ideia de que, se vivêssemos exatamente como a outra pessoa, tendo sido criados de tal forma, vivido as mesmas experiências, convivido com as mesmas pessoas, então teríamos a mesma opinião que ela. Assim, não devemos culpar ou julgar a outra pessoa, mas sim tentar entender o porquê de suas opiniões.

5. Faça a pessoa se sentir feliz realizando o que você sugere

Essa parte foi bastante interessante para mim por fazer sentido no contexto da educação. Dizer para os alunos que devem fazer os temas ou então levarão uma advertência só fará com que eles sintam raiva do professor. Agora, no momento em que eles compreenderem que o tema fará com que precisem dedicar menos tempo antes das provas para estudar ou se preocuparem menos com exames no final do ano, os alunos poderão se sentir mais motivados, pois terão benefícios com tais ações. Assim, devemos mostrar por que o que propomos é benéfico para a pessoa, não para nós.

 

E então pessoal já leram esse livro? O que acharam das lições?

Muito obrigada por tudo!

Beijinhos!!!

Entretenimento, Filmes

5 favoritos indicados ao Oscar + Planilha de acompanhamento

Olá, pessoal!

No próximo domingo, dia 24, acontecerá a cerimônia do Oscar 2019. Dos 33 filmes indicados, já assisti 12, incluindo os 7 indicados a melhor filme. Resolvi compartilhar meus 5 favoritos caso vocês desejem maratonar, haha. Além disso, disponibilizei uma tabela sensacional para  vocês fazerem o acompanhamento do progresso!

A esposa

Apesar da única indicação (Melhor Atriz para Glenn Close), me apaixonei pela história do filme desde o trailer, foi amor à primeira vista, haha. O filme retrata a relação de um casal, sendo que a esposa vive em função do marido, um escritor renomado. Adoro a temática do feminismo, então esse filme super me conquistou.

Nasce uma estrela

Com 8 indicações, incluindo Melhor Filme, Ator e Atriz, o filme é o terceiro mais indicado. Fiquei impressionada com a atuação da Lady Gaga em seu primeiro papel e Bradley Cooper já era um dos meus queridinhos, haha. A história do filme é super envolvente e eu gostei muito, ainda mais da forma como adicionaram tantas músicas maravilhosas (os dois personagens principais são músicos). Aposto todas as minhas fichas em Shallow como Melhor Canção Original (não me decepcione, Academia, hahaha).

Green Book – O Guia

Quando indiquei o filme em um post anterior, havia me interessado pelo trailer. Após assisti-lo, fiquei muito orgulhosa de mim mesma pela indicação, haha. Mostrando a relação de um um descendente de italianos e um negro na época da segregação, o filme nos faz repensar diversos pontos relacionados ao racismo. Apesar dessa temática, achei o filme “leve”, algo que me agrada muito. E, mais legal ainda, é ele ser baseado em fatos reais. Dentre as 5 indicações estão a de Melhor Filme e Melhor Roteiro Original.

Infiltrado na Klan

O filme, que teve 6 indicações, também retrata a questão do racismo, porém de forma não tão leve quanto o anterior. Além disso, acho que o filme me fez refletir bastante sobre os movimentos e ideias que são importantes para nós e pelos quais lutamos (ou deixamos de lutar).

 

Bohemian Rhapsody

Por fim, um filme que me surpreendeu muito (e positivamente, haha). Não sou uma fã de Queen, então não esperava gostar muito da história, porém achei o filme muito bem “montado”, digamos assim, haha. Gosto de histórias baseadas em fatos reais, me despertam bastante interesse. O filme conta com 5 indicações, incluindo Melhor Filme e Melhor Ator.

 

Sobre a tabela

Vou deixar aqui o link para baixar a tabela do Oscar 2019! Agradecimentos especiais ao meu namorado que elaborou ela, haha. Eu só dei uns toques finais! Se vocês observarem, ela é composta por duas planilhas (canto esquerdo, embaixo), sendo que na primeira há o nome de todos os filmes em ordem decrescente de indicação e na segunda as categorias. Vocês podem preencher na primeira tabela se assistiram ou não o filme e na segunda aparecerá com base no que foi respondido na primeira. Para ver as categorias nas quais os filmes foram indicados, na primeira tabela, basta clicar no sinal de + no lado esquerdo do nome do filme!

 

Espero que vocês tenham gostado das indicações e da tabela! Quais filmes vocês assistiram? E quais indicariam?

 

Muito obrigada por tudo, pessoal!

 

Beijinhos!!!

Beleza, Entretenimento, Estilo

5 vídeos sobre consultoria de cores

Olá, pessoal! Tudo bem?

Ontem eu postei no canal do YouTube sobre a consultoria de cores que eu realizei. Mencionei no post anterior sobre meu interesse no assunto e resolvi fazer o vídeo para compartilhar um pouco da minha experiência. Aproveitei também para indicar aqui mais alguns vídeos para quem se interessar pelo assunto!

 

Nesse vídeo eu explico de onde surgiu meu interesse, minhas opiniões iniciais, como funciona o processo e os resultados que eu obtive com a consultoria. Eu fiz o processo com a consultora de estilo Carol Rebelatto, que é da minha cidade, Caxias do Sul/RS.

 

Nesse vídeo da Caroline Trenz vocês podem observar como acontece, na prática, os processos que eu expliquei no vídeo anterior. Ela mostra bem os paninhos que são utilizados e como funciona!

 

Esse vídeo da Chata de Galocha foi um dos primeiros – se não o primeiro – que eu assisti sobre o assunto e eu acho ele muito bom! Ela e a Thais Farage respondem dúvidas sobre a Consultoria de Cores!

 

Embora esse vídeo da Fê Neute com as meninas do Assinatura de Estilo não tenha o foco na consultoria de cores, elas explicam sobre como utilizar cores e desfazem alguns pensamentos/mitos que a gente tem. É bem legal para ajudar a colocar em prática nossas cores.

 

Por fim, nesse vídeo da Lari, a Carol (que fez minha consultoria também) explica como funciona o processo de consultoria de cores com ela! Para quem se interessar e morar nessa região, não deixem de entrar em contato com a Carol!

 

E vocês, já conheciam sobre consultoria de cores?

Espero que vocês tenham gostado das dicas!

Muito obrigada, pessoal!

 

Beijinhos!!!

Beleza, Estilo

5 perfis no Instagram de consultoria de estilo para você seguir – e se inspirar

Olá, pessoal! Tudo bem?

Nunca fui uma pessoa muito interessada em moda, mas porque eu associava àquelas tendências de estilo passageiras, sabe? Aquilo que todo mundo corre para comprar mesmo sem analisar se gosta, só por “estar na moda”. Sempre tive certo ~ranço~ desse tipo de pensamento, haha. Mas me vestir bem, de uma forma que me trouxesse felicidade, aquele sentimento de que “uau, é assim mesmo que eu quero me mostrar”, sempre foi algo que gostei.

Alguns meses atrás, comecei a seguir no Instagram uma consultora de estilo, por ter visto a indicação de alguma blogueira, e assim comecei a conhecer outras profissionais da área e me apaixonar. É muito legal quando você percebe que as roupas têm inúmeras possibilidades e que aquelas regrinhas que a gente ouve não são, de fato, obrigatórias. Que o que vale, mesmo, é transmitir nas roupas quem a gente é. E isso é algo que eu gosto muito. Vou indicar aqui 5 perfis de consultoria de estilo que eu gosto muito e recomendo que vocês conheçam!

 

Thais Farage – @thaisfarage

View this post on Instagram

mudei pra são paulo porque eu cismei, da noite pro dia, que meu trabalho ia rolar melhor aqui (na época eu ainda fazia cinema). deu tudo errado, odiei, mudei de carreira, tive filho, demoreeeeei a me adaptar mas hoje em dia eu aaaaamo morar aqui. acho sp lindassa. quando vôo de congonhas e passo por cima do mar de prédio fico até emocionada, juro! hahaha. são paulo é complexa e tem muitas 'são paulos', nem todas são legais, nem todas são bonitas. mas eu amo e amo cada vez mais. e amo muito não ser daqui: não me acostumo nunca com o infinito, tô sempre descobrindo coisas novas, tô sempre deslumbrada e tô sempre desconfortável. e eu gosto demais dessa sensação! janeiro é aniversário de sp e eu fico mesmo mais apaixonada (a falta de trânsito certamente ajuda, haha). minha dica pra se apaixonar: andar mais na rua e ficar menos no shopping, no carro, no rolê burocrático. e meu plano pra 2019 é fazer mais coisa no centro, que eu aaaaaamo. me conta o que cês curtem em sp? vai que eu não fui ainda… 🖤 #sp #splovers #011 #essepê

A post shared by Thais Farage (@thaisfarage) on

Conheci a Thais por um vídeo da Chata de Galocha sobre coloração pessoal (assunto pelo qual estava e ainda estou obcecada) e demorei um pouco para criar uma “ligação”. Mas vendo os stories e posicionamentos, acabei amando muito o perfil dela. Além do quesito de moda, gosto muito dos posicionamentos dela então super sugiro dar uma olhadinha. Se passo um dia sem ver os stories dela parece que falta algo haha.

Ana Soares – @modapenochao

A Ana é sensacional por falar bastante sobre esse padrão consumista que temos, de comprar as roupas sem pensar e não darmos o devido valor e cuidado que as peças merecem. Com as reflexões que ela propõe nos stories, repensei muito minhas atitudes e a forma como consumo. Ela tem um podcast sensacional também! O nome é “Moda pé no chão” e super indico ouvir. Eu ouço pelo Spotify (vou deixar o link aqui).

 

Paula Salvador – @_paulasalvador

View this post on Instagram

look de hoje em floripa, pausa pro café 🌻 // ontem, mostrando meu look do dia no espelho, falei como me faltam partes de baixo curtas – tenho jeans, esse e um listrado com textura. não gosto de saia curta, então é isso: sinto minhas partes de baixo curtas meio desfalcadas no verão hahaha. e tudo bem. o guarda-roupa ideal não se constrói com pressa, de um dia pro outro. é aos poucos, sentindo a necessidade real, entendendo como uma peça x funcionaria, como ela deve ser e aí sim comprando. até porque é “necessidade”, assim entre aspas, porque não é aqueeela necessidade, não pode ser o nosso gasto de lazer, como numa voltinha do shopping. a gente precisa olhar pra isso com mais responsabilidade. pelo nosso bolso, pelo bem do nosso guarda-roupa e até do planeta. // conta aí: como você lida com as compras? já tem essa “listinha” pra comprar melhor?

A post shared by PAULA SALVADOR, consultora (@_paulasalvador) on

Enquanto a Thais usa basicamente preto e a Ana usa muitas cores, acho que a Paula mostra looks mais “básicos” porém com muito estilo! Ela também faz vários vídeos e fotos com dicas maravilhosas para versatilizar as peças. Acho que ela é a rainha versátil, hahaha. Vale super seguir ela para aprender a multiplicar as opções de looks com as peças que já temos no guarda-roupa.

Assinatura De Estilo – @estiloassinatura

View this post on Instagram

Modo FÉRIAS ativado!!! Mas, antes disso, a gente tem que fazer aquele momento clichê, porém real que é agradecer muiiiiito a vocês ! Com vocês e por vocês descobrimos que podemos SIM mudar o modo de encarar o vestir e mostrar a ferramenta poderosa de libertação que pode ser! Desconstruindo padrões, desmistificando regras e incentivando o EXPERIMENTAR!!! Em um ano difícil como foi 2018, pra nós, foi incrível despertar o #autocuidado em cada uma de vcs! Saímos de férias, pq descansar é preciso e é autocuidado, né? Mas, já avisamos que 2019 será incrível e já está todo planejadinho pra vcs! Com muito mais conteúdo gratuito e com a agenda de atendimentos individuais mais restrita, pra que a gente consiga juntas chegar mais perto de mais gente! Vamos juntas? FELIZ NATAL!!!! ❤️#vestirpralibertar #assinaturadeestilo #secuidaAE

A post shared by Assinatura De Estilo (@estiloassinatura) on

Conheci a Carol e a Carlinha assistindo um vídeo da Fê Neute (vou deixar o link aqui), também sobre coloração pessoal, haha. Além disso, elas também são colaboradoras de conteúdo do Me Poupe e tem vídeos delas com a Nathalia Arcuri também (link aqui). Acho que as meninas mostram de uma forma muito legal como trazer estilo e cores para o dia-a-dia. Com a #inspiracaonaoehimitacao elas adaptam looks muito legais com as roupas que têm, nos dando diversas ideias.

Carolina Rebelatto – @carolrebelatto

View this post on Instagram

Monocromáticos ❤️

A post shared by Carolìna S R’ebelatto (@carolrebelatto) on

Conheci a Carol quando eu estava procurando consultoras de estilo na minha cidade – Caxias do Sul/RS. Comecei a seguir ela e admirar muito seu trabalho. Com ela, finalmente realizei o sonho de fazer a análise de coloração pessoal, haha (vou fazer um vídeo falando mais do assunto!). Ela se veste com de um jeito que eu acho muito lindo e também dá várias dicas de estilo no seu perfil. Já sabem, né? Bora seguir!

 

E então, pessoal, qual é a relação de vocês com roupas e com a moda? Gostaram das indicações? Já conheciam?

 

Muito obrigada por tudo, pessoal!

 

Beijinhos!!!